A Malta e o Mónaco

Passeando pela Rua da Junqueira fui, subitamente, bloqueado pela constatação de um acontecimento da maior importância e cuja falta de divulgação na comunicação social vem, mais uma vez, provar como as coisas verdadeiramente importantes são deixadas para segundo plano para que outras, de cariz mais mundano, tomem o lugar delas. Pois bem, no palacete na foto funcionava (desde que me lembro de mim), a Embaixada do Mónaco mas, agora, a representação da potência socialite foi substituída pela da poderosíssima Ordem Militar Soberana de Malta.

Sim, sei no que estão a pensar, porque razão os herdeiros dos Hospitalários não aderem à NATO/OTAN, certo? É, realmente, uma questão relevante mas para a qual a minha ignorância em geoestratégia não encontra resposta.

Nenhum jornal dedicou um dossiê a esta mudança nem ao alargado leque de consequências que ela implica. A economia, a defesa, o ambiente... Quais as implicações da substituição da representação monegasca pela dos terríveis guerreiros mediterrânicos? O Governo não diz nada? Será que tenho de ver o programa da Fátima Lopes para que a Maya me possa esclarecer?

(será que a Maya já foi a alguma recepção da Embaixada do Mónaco? E, em caso afirmativo, foi antes ou depois do "enchimento"?)

Perguntas, perguntas...

Sem comentários: