Porto independente

Desde logo, há que fazer a ressalva: a Bor-Land não tem nada a ver com a Borland. A música e a informática, aqui, são coisas completamente separadas.

A extrema simplicidade do site da editora independente sediada no Porto poderá ser desarmante para muitos mas a verdade é que se enquadra num certo espírito descomplicado e minimalista (sempre muito popular nos meios arquitectónicos e de design da Invicta) que acaba por servir de convite a focarmo-nos no essencial. No caso, os artistas.

Maioritariamente nacionais, maioritariamente anglófilos e anglófonos (até o site está em Inglês - a meu ver, uma situação absurda e estúpida), as bandas que fazem parte do catálogo da Bor-Land variam bastante, cobrindo sonoridades experimentais, melancólicas ou um pouco mais "comuns".

Old Jerusalem é, provavelmente, o nome mais famoso saído da editora (uma "one man band" que merece, sem qualquer dúvida, uma longa e calma audição) mas também lá encontramos, por exemplo, o GNR original Alexandre Soares.

Aceder à "Bor-Land": www.bor-land.com

Sem comentários: