A moda dos problemas

Já se esperava que isto acontecesse. Um Airbus caiu no meio do Atlântico e lá começam a surgir as notícias de avarias e azares com aviões do mesmo fabricante. Não é que esses problemas não acontecessem antes da tragédia em águas brasileiras. Não, o que se passa, agora, é que os jornalistas acham que tudo que envolva um Airbus e que implique uma gravidade superior a uma unha partida, tem de ser comunicado à população!

Só hoje, foram dois casos: um avião que aterrou de emergência nas Canárias com um problema num motor e um outro onde deflagou um incêndio na cabina dos pilotos. Feridos? Não houve, sequer, mas isso pouco importa porque o que interessa é dar continuidade ao habitual jogo jornalístico de semear o medo e a desconfiança junto do público...

A Boeing agradece. Até chegar a sua vez...

1 comentário:

Joana disse...

Olá

Isso sempre que há um desastre maior acontece... Jornalismo sensionalista!

Sei de um site onde são registadas todas as emergências (por minimas que sejam) da aviação, com actualização diária (no minimo), que daria capas de jornal e artigo principal dos Telejornais durante 10 anos ou mais!

A imprensa de hoje é mais virada para o sensionalismo que saber a verdade em si... são os tempos que correm...

(Não que não me cause um certo medo a ideia de estar dentro de um avião e de um momento para o outro o avião começar a cair, mas só de pensar nos milhares de pessoas que morrem nas estradas em acidentes de automóveis em comparação com os que há de avião... apenas se fala no que interessa...)

Beijos