Para quem é, chega

Olhando para a fotografia ao lado deste desinteressante texto ocorrerá a alguns pensar "olha, o gajo do blog foi ao estrangeiro novamente". E é normal que assim pensem já que, não só isso me acontece com uma frequência mínima anual, como eu também tenho o pretenciosismo de expor na internet as fotografias dos sítios por onde passo. O problema é que "o gajo do blog" (assim me chamam no mirabolante mundo dos comentários online do jornal Público), costuma tirar fotografias a coisas bonitas ou curiosas e esta imagem não é uma coisa nem outra. Que interesse poderá haver em fotografar a montra de uma loja em Espanha (ou qualquer outro país de semelhante linguarejar)? É uma montra bonita? - perguntam. Não, respondo eu. É uma montra com produtos que se destaquem? - insistem. Não, digo eu novamente. Então, que interesse poderá haver na fotografia mostrada?

Pois bem, a "piada" da imagem é que ela foi tirada em pleno centro da cidade de Lisboa. Sim, leram bem. Para que se possam situar melhor, esta é a montra da loja "Musgo" no centro comercial Saldanha Residence (pois... há muito que a tugalhada trocou as residências por "residences"), mesmo juntinho à Praça Duque de Saldanha (enquanto não passar a "square"). E, agora (partindo do princípio de que o leitor conserva os seus neurónios mais ou menos intactos), é a altura de a imagem o fazer abrir a boca. Só um bocadinho, a princípio (em jeito de quem começa a ver a coisa), passando depois a uma abertura bocal maior (como quem já está prestes a soltar um "porra!" ou a engolir uma mosca).

Mas... mas... - balbuceia o leitor incrédulo -, porque que raio é que uma montra ostenta um enorme e laranjante sinal de "2as rebajas", ofuscando tudo o mais à sua volta, numa zona comercial (e não turística) da capital portuguesa? Olhem, porque a loja "Musgo", para além de parecer careira, também deve ser espanhola. Se não é, faz de conta muito bem: uma voltinha lá dentro e é começar a topar, por exemplo, os autocolantes de "zapatera" (podia ser a irmã do PM espanhol mas quer dizer, na realidade, "sapateira") e outras preciosidades semelhantes. Portanto, como espanhola que é, a loja faz questão de, orgulhosamente, o mostrar. Os empregados são portugueses, é certo. Os clientes, também. Mas, o que é que isso interessa quando estamos a lidar com espanholada? Aquilo são animais predadores a domar a presa e pronto!

Há muitos anos, nas Amoreiras, perguntei a uma funcionária de uma loja francesa qual a razão para terem dísticos em Francês na montra. "Ah... sabe, isto é um franchising, eles mandam a publicidade e nós colocamos...". Claro, nada mais simples. Acaba por ser a solução melhor para o complexado tuga: não penses, não questiones, imita! O pormenor verdadeiramente engraçado é que, supostamente, isto vai contra todas as regras da arte de vender: para despachar algo, é preciso que o comprador se identifique com o produto, é preciso adaptar a estratégia de venda ao público alvo (taaaaaarget!) mas, para português, qualquer coisa serve. A tugalhada é assim mesmo, vive ausente de coisas tão vitais como o respeito e a ética.

Na "Musgo", para aqueles que forem embirrantes, aparecem lá uns cubos de cartão com a palavra "saldos". Obrigadinho, ó pá, mas eu estou mesmo é interessado nas "2as rebajas" (o desconto deve ser maior...).

Sem comentários: