A fruta do Brasil

Acabo de receber na minha caixa de correio uma mensagem de um qualquer "Moreno" com o título "Vamos mudar o Brasil". Do pouco da mensagem que o programa deixa antever deu para entender que a coisa anda à volta das eleições presidenciais lá do outro lado do Atlântico.

Passando à frente da óbvia estupidez que é enviar mensagens políticas para endereços de outro país (aquilo vai a eito, já se sabe), gostaria aqui de manifestar o meu inutilíssimo apoio a qualquer candidato que prometa acabar com a maior exportação brasileira da atualidade: o SPAM.

Pior do que os travestis no Conde Redondo, as prostitutas nos bares, as telenovelas na SIC ou os jogadores do Braga, são aquelas mensagenzinhas ridículas que invadem aos milhares a minha conta de correio eletrónico - prometendo-me saúde férrea, juventude eterna, ereções gigantescas, fortunas colossais ou tão-só apelando a uma contribuiçãozinha para não sei que causa perdida no meio da selva - seja ela de betão ou de árvores a sério.

Aos travestis só recorre quem gosta, às putas só vai quem quer, a televisão só liga quem não tem mais nada para fazer e, quanto ao futebol, só paga bilhete quem for masoquista. Agora, o SPAM... essa é que é uma praga à qual não se consegue fugir! Pior do que SPAM, só ser obrigado a escutar o Gilberto Gil cantando o "aêee, aôô, aêê" ou qualquer outra das poesias pela qual é mundialmente conhecido na sua cidade.

Portanto, arranjem lá um candidato que ponha no programa de Governo "acabar com aqueles safado que envia mensagem pró correio dos outro" que eu prometo, desde já, fazer campanha por ele, aqui deste lado do mar.



Pode ser? "Nóis agradece".

Sem comentários: