Júlia Pinheiro na SIC ?!

Depois da pavorosa notícia da transferência de Manuela Moura Guedes para a SIC, nasce nos mentideros da estação o boato da possível contratação de Júlia Pinheiro (sim, essa mesmo) para diretora de programas.

Verdade, ou nuvem de fumo para desviar a atenção de José Eduardo Moniz?

Seja como for, o futuro parece negro para os lados de Carnaxide...

Dúvida essencial sobre o FMI

Se as medidas de austeridade já foram tomadas, se o FMI permite ter crédito a taxas muito melhores e se, passado o ataque especulativo a Portugal se segue a Espanha, então, quer isso dizer que andamos a fazer das tripas coração a pagar juros cada vez mais altos só para evitar que os especuladores virem as suas atenções para a Espanha?! Como?!

Critérios jornalísticos?

Ainda a questão da cobertura jornalística à nossa vitória sobre os campeões do mundo...

Reparem na imagem da esquerda: é a capa do jornal Metro na manhã após o jogo. Agora, reparem na imagem da direita: é a capa do jornal metro um dia depois. O mesmo jornal que praticamente ignora um resultado de 4-0 sobre o nosso eterno rival, é o mesmo que concede uma página inteira (!) à história de uma criancinha qualquer e do seu basquetebolista favorito que - por mero acaso! -, até é... espanhol.
Quem faz as coisas, fás-lias bem!!!


Comentário deixado no artigo "Renasceu a Lisboa antes do terramoto", no jornal Público.

Sobre o Benfica x Hapoel

Mais uma vez, os judeus fizeram a folha ao Jesus...
Se o Braga hoje voltar a ganhar, será que se vai repetir este fantástico tratamento jornalístico? Reparem na diferença...

PS - o jornal é o Público...

Oportunidade perdida

A recente cimeira da OTAN/NATO em Lisboa deixou-me de pé atrás relativamente a várias coisas:

1) Porque razão começou numa Sexta-Feira (dia útil) e não no Sábado?
2) Porque razão as altas individualidades não foram para o local de helicóptero?
3) Porque razão o resto da canalhada não foi de barco?

Tudo isto teria permitido evitar muitos dos transtornos causados à cidade e aos seus habitantes.

A par disto, acho que se perdeu uma enorme oportunidade de dar ao Porto um cheirinho das "vantagens" de se ser capital. Curiosamente, não apareceu ninguém a reclamar...

A arte da manipulação

O Jornal de Notícias bota na sua capa de hoje uma foto de uma "ação" de pacifistas (termo que hoje em dia se confunde com "dreads" e "anarcas") sob o título de "Fronteiras barradas a pacifistas". Não sei se entre estes pacifistas se contam o casal luso-espanhol que se fazia acompanhar de uma catana e mais outras armas brancas, cartazes com polícias portugueses e motes escritos em Castelhano (delicioso este pormenor); ou ainda aqueles rapazes de negro que costumam - por amor à paz -, andar a partir montras de lojas e a incendiar carros. Agora, o que eu sei de certeza é que, por mero acaso, a fotografia do Jornal de Notícias foi tirada em plena Praça do Rossio, o "centro mais central" da capital de Portugal... al.

As pulseiras

Segundo o jornal Público, a Espanha é o país onde mais se venderam as célebres pulseiras eletromagneticonãoseioquê que adornavam os pulsos de tanta gente conhecida, prometendo dar-lhes mais "equilíbio" e bem-estar. Nada de novo porque, há uns bons anos, eram aquelas outras pulseiras com bolas nas pontas que (não) faziam exatamente o mesmo. Quando muito, estas agora são mais "fashion".

Bom, mas para além da tremenda mostra de ignorância e saloíce dos nossos vizinhos, um organismo de defesa dos consumidores conseguiu que a empresa responsável pelas pulseiras fosse multada por publicidade enganosa. Um tribunal decretou uma multa de 15.000 euros como castigo de uma fraude que deverá ter rendido cerca de 10 milhões de euros aos espertalhões. Não bastava os espanhóis serem uns saloios, também têm uma justiça que é uma tanga e que protege os xicos-espertos.

Mas a coisa não para por aqui. É que uma das criaturas que andava a passear-se em público com uma das pulseiras era nada mais, nada menos, do que a ministra da saúde do reino vizinho! Quando uma responsável pela saúde alinha em coisas destas, podemos ter uma boa noção do que é o resto da população... De alto a baixo, um terceiromundismo que até arrepia...

E querem vender-nos esta gente como exemplo? Dispenso, obrigado.

Candidatura "ibérica" 3 - o vídeo da tanga



Uma rápida análise ao vídeo da grande tanga mostra-nos o seguinte:

1) É dado mais destaque às cidades espanholas do que às portuguesas

2) Os nomes das cidades aparecem escritos em Espanhol (Oporto)

3) A bandeira portuguesa está mal, com as proporções dos diversos elementos todas erradas

4) As cores nacionais são esbatidas no logotipo

5) Os jogadores espanhóis são entrevistadas num cenário cuidado, com direito a grafismo, enquanto que os portugueses são filmados num corredor de hotel

6) Há muito mais filmagens da Seleção espanhola do que da portuguesa

7) Porque raio andaram a entrevistar brasileiros na rua? Porque as bestas dos espanhóis nem percebem a diferença...

Candidatura "ibérica" 2 - o desleixo com a bandeira


Imagem retirada do vídeo oficial da candidatura "ibérica" à organização do Mundial. Vídeo oficial!
Repare-se no desleixo na apresentação da bandeira portuguesa onde as armas nacionais mal se vêem, desrespeitando por completo as proporções...

Candidatura "ibérica" 1 - a imagem da desigualdade


Repare-se no pormenor: enquanto a amigável portuguesa pinta a cara com as bandeiras dos dois países, a espanhola mantém-se orgulhosamente... "espanholista". Misturas? Está bem está...

Portugal 4 - Espanha 0: a reação da imprensa "portuguesa"


O (não) "destaque" dado pelo jornal Público à vitória da Seleção sobre os espanhóis. Deve ter sido uma azia danada naquela redação...

Agora, compare-se com a capa do Diário de Notícias...



Quanto à TSF, a situação é verdadeiramente aberrante: não só ontem anunciava o jogo com um grande plano das armas espanholas como não fez qualquer tipo de pós-reportagem ao jogo (na realidade, "enfiou" uma entrevista a um estagiário português na estrutura da NATO!!!) Após a "oportuna" entrevista, limitou-se a recolher uma frase de Paulo Bento na conferência de imprensa. Hoje, dá preferência ao que os espanhóis acham da sua própria seleção...



O jornal "i" alinha no encobrimento da vitória (e se julga que há alguma referência ao jogo na parte do écran que aqui não se mostra, desengane-se...). Para saber da vitória nacional, é preciso carregar naquele numerozinho 3 que está junto ao Obama...




O jornal gratuito Metro, prefere dar o destaque a uma notícia negativo (claro) e à foto de uma loura qualquer enfiada num carro...



Triste revista de imprensa...

Sem bolas...

A capa de hoje do jornal "A Bola" ou "a razão porque a merda da tugalhada nunca será ninguém na vida"...

Para ser um chefe...

Extrato do livro "Para ser um chefe" (A. C. da Silveira Ramos), editado pela Mocidade Portuguesa.

Apetece perguntar: e isto não são bons princípios?
Falta um mês e tal para o Natal e as ruas de Benfica já estão iluminadas. Aliás, a freguesia até conseguiu ter com os fundos públicos o que a cidade viu recusado por uma entidade privada (BCP): uma árvore de natal na rua. É a crise, senhores? Se é, não parece...

Afinal, ganharam!

No dia seguinte à catástrofe nas Antas, ficamos a saber pelo destaque no site do "Glorioso" que, afinal, quem perdeu foi o Porto, mas em Andebol... (e logo por uma expressiva margem de um golo!

Piada hereticó-seca

Esta coisa do tempo ficar mau e começar a chover cada vez que Jesus se lixa, já começa a irritar...

Quem sabe, sabe!



O grande Simão Rubim dá-nos aqui uma enésima lição da arte de fazer rir...