As anedotas sobre Carlos Castro

O assassinato de Carlos Castro parece ter dado a este blog o seu maior êxito de sempre: mais de 1800 visitas de pessoas procurando anedotas sobre o falecido (e, de caminho, sobre o Cláudio Ramos). Embora possa parecer abusivo da minha parte, a verdade é que creio ser possível extrapolar este valor para fazer uma análise da forma como as pessoas reagiram ao homicídio. Basicamente, o pessoal caga no assunto e aproveita para se divertir com os pormenores sórdidos com que os jornalistas (os "verdadeiros") enchem as páginas das revistas e jornais.

Contrariamente ao que os jornalistas querem impingir, não há choque nenhum para as pessoas. Contrariamente ao que os habituais defensores dos bons princípios querem fazer crer, as pessoas também não têm qualquer ódio contra Carlos Castro por causa deste ser homossexual. Não, as pessoas apenas o achavam ridículo. Tudo muito mais simples e descomplexado.

Portanto, e para fazer a vontade a tanta gente que demanda estas paragens procurando humor sobre o "cronista", aqui vai a verdadeira história do que se passou naquele quarto de hotel em Nova Iorque...

"Modelo" - Quero cortar relações contigo!
"Cronista" - Cortas mas é o caralho!!!

Sem comentários: