O orgulho de Mourinho

Mourinho é português. Mais do que isso: Mourinho é orgulhosamente português. A surpreendente revelação do melhor treinador de futebol do mundo (antes, durante e depois de qualquer prémio) foi feita na entrega da Bola de Ouro, quando o craque do banco pedia desculpa por falar em... Português. Mourinho (o Rosé, como foi anunciado), mais tarde confessaria (instado por um jornalista) que tinha "planeado" falar em Português. Mourinho é tão organizado, tão organizado que até "planeia" agradecer um prémio na sua língua materna, algo que tanto espanhóis, argentinos, brasileiros, ingleses ou marcianos fazem da forma mais natural do mundo e sem necessidade de pedirem desculpas a ninguém. A diferença estará, quiçá, no orgulho. Os outros não se orgulham de quem são nem de onde vêm. Mourinho, sim. E, por isso, pede desculpa. Nós, os portugueses que gostamos de Mourinho e que até lhe perdoamos a birra de se recusar a responder em Português nas conferências de imprensa quando interpelado por jornalistas lusófonos; nós, os portugueses que lhe chamamos "special one" e "el especial" e "Mou" (preparem-se porque a comunicação social anda a apostar nesta, a reboque da espanholada - como sempre), nós perdoamos que aquele que é, juntamente com Cristiano Ronaldo, o maior embaixador do nosso país, o vencedor de duas Ligas dos Campeões, uma Taça UEFA, um campeonato inglês, outro italiano, um ou dois portugueses e mais umas minudências, ache que deve pedir desculpa por falar na língua que - por acaso -, até é a da maior potência futebolística mundial. Nós até perdoamos a Mourinho porque, no fundo, apesar de toda aquele ar de "venham todos, quantos são?", o José é tão "tuga" quanto qualquer outro, com a única diferença de que é absolutamente fantástico na sua profissão (como muitos outros portugueses são). O fundo psicológico, o complexo de inferioridade, a pequenez de espírito... está lá tudo, tão enraizado como em qualquer outro José... Povinho.


P.S. - segundo a RTP, Mourinho comoveu toda a gente ao falar em Português. E ainda há quem tente passar a ideia de que a nossa língua é uma das "grandes línguas do mundo". A língua talvez seja; já os seus falantes, não passam de uns perfeitos merdas...

1 comentário:

Carqueixa disse...

Mas o Mou o que ele não tem é educação, humildade, respeito.
Ninguém põe em causa os conhecimentos de futebol do Mou, só a sua pessoa.
Ele só faz provocar, irritar, rir-se da equipa contrária; isso sim, só quando ganha, quando recebe 5 ocultasse na cova.
Isto o diz um galego, ou por melhor dizer: um português do norte que se orgulha de tudo quanto é lusofonia da qual é um infatigável adepto, e como pode olhar o senhor não se vergonha da língua de Camões, mas tudo o contrario: adora.