E não se pode matá-los?

Poder... podia-se, mas era chato. E deixávamos de nos rir com com a profunda estupidez e rudeza das personagens desta peça em cena n'A Comuna. A violência, os complexos, a hipocrisia... tudo ali, à nossa frente e à nossa volta, que este espetáculo tem a particularidade de ser visto em pé, junto aos atores, partilhando público e artistas o espaço habitualmente reservado aos segundos.

Uma peça fresca e divertida que só peca por alguns tiques politicamente corretos impostos pela costumeira visão de que a violência maior é a ritual e a de reação. Ainda assim, ultrapassando esse pormenor (em que, porventura, a companhia depositará esperanças), restam-nos momentos absolutamente hilariantes como, por exemplo, o número de Fado interpretado por Carlos Paulo.

A não perder!

PS: Preço? Cinco euros... Querem melhor?

Sem comentários: