O Egito e o FMI

Já repararam que desde que rebentou a "revolução" (para já, é apenas uma revolta mas a malta gosta é de termos exagerados), já não se fala no FMI? Sim, o único assunto de que se falava praticamente desapareceu. Das duas uma, ou o FMI, afinal, não era importante (e os jornalistas são uns mentirosos histéricos) ou o Egito é mais importante do que a nossa terrível crise (e, nesse caso, os jornalistas são uns irresponsáveis). Em que ficamos?

1 comentário:

Rui Sousa, Madeira Spotters disse...

Obviamente as revoltas no Egipto e Tunísia foram engendradas pelo SIS, a mando do Sócras, para desviar o assunto das primeiras páginas. ;))