Esta história do FMI é como a central nuclear no Japão: faz fumo, muito fumo, mas não há meio de rebentar. Já enjoa!

Sem comentários: