Desaparece, camarada!

Uma travessia do Marquês de Pombal no 25A foi o suficiente para levar com um dos mais incontornáveis fenómenos mediáticos dos nossos dias: os Homens da Luta. Pedia o camarada Jel a um homem para pegar no megafone, camarada, e dizer, camarada, o que muito bem lhe apetecesse, camarada. O camarada homem, todo contente da vida, lá botou, camarada, umas banalidades revolucionárias, para gáudio de todos os camaradas que observavam.

Fiquei imaginando, camaradas, o que eu teria dito: Camada Jel, quando é que a gente se vê livre de ti, camarada, que já não há pachorra para te aturar, camarada, mais essa pandilha que te acompanha, camarada e que não tem uma porra de piada, camarada?

Sem comentários: