15:35

A rádio transmite uma notícia acerca de confrontos envolvendo palestinianos na fronteira entre Israel e a... Líbia.

Não foi uma, não foram duas mas muitas vezes que a jornalista de serviço disse Líbia. Líbia e não Líbano. Das duas uma, ou a jornalista é uma criatura acéfala que lê tudo o que lhe puserem à frente sem sequer pensar no que está a dizer ou a jornalista é uma monumental ignorante que não faz, sequer, ideia de onde fica a Líbia.

Ambas as situações são assustadoras mas dizem muito sobre o atual estado do nosso jornalismo.

1 comentário:

Fada do bosque disse...

Acredito que tal tenha acontecido! Eu já estava a franzir o sobrolho na primeira frase! Jornalismo em Portugal?! onde?... é uma espécie de jornalismo. Com um Index para jornalistas de craveira, opta-se por abrir cursos de jornalismo generalistas, ou de linha branca! Saem de lá pouco mais do que ignorantes, As RI não interessam, muito menos História... está-se mesmo a ver...
Todos imberbes e loiros e os verdadeiros jornalistas, todos no desemprego e com o nome numa lista negra extensível a toda a Europa, lá vão defendendo o poder das ideias, acima das ideias de poder, na blogosfera, enquanto a sua vocação vai sendo morta pelo desemprego de longo curso.