A festa

O "Teatro do Eléctrico" já nos habituou a um estilo muito próprio: peças relativamente curtas, com tónica num humor quase absurdo, servidas por ótimos atores. Desta feita, a obra em cena no Teatroesfera (Queluz) é um original do italiano Spiro Scimone, traduzido por Jorge Silva Melo, e que nos apresenta uma família desfuncional: um pai bruto, uma mãe burra e um filho "espinhoso". Os três encarregam-se de nos provocar constantes gargalhadas com os seus comportamentos em casa.

Conselho: a não perder.

P.S. - às Quintas, é só cinco euros.

Sem comentários: