O clube e a equipa

Sinceramente, alguém esperava que a máquina portista, ontem, deixasse escapar mais um troféu? No fundo, muitos tinham uma esperança de que aquela espécie de tomba-gigantes que foi o Braga pudesse levar mais um de vencida mas o Porto é bom de mais para se deixar surpreender.

Eu estava dividido: gostava que o Braga ganhasse (pela variação) mas ficaria triste se a simpática figura do Villas-Boas não juntasse mais um "recordezito" a esta época. Fiquei satisfeito.

Agora... o que me deixa bastante perturbado é ver a utilização patrioteira desta final pelos "porreiraços" do costume. Dizem que estavam em Dublin duas equipas portuguesas. É mentira. Estavam, concerteza, dois clubes nacionais. Estavam dois bons treinadores portugueses (Domingos é melhor, capaz de fazer muito com pouquíssimo) e, parece, também havia uma representação simbólica de jogadores lusos a correr no relvado. O resto... o resto era uma espécie de representação da ONU em calções. Isso notou-se bem no final, quando os portistas foram receber a taça e pudemos ver bandeiras da Colômbia, Polónia, Roménia, Cabo-Verde, Brasil, Uruguai... mas nenhuma portuguesa. Ou os nossos representantes, submersos no meio do contingente estrangeiro, já nem se lembram de onde nasceram ou, então, são daqueles que olham para estas coisas da representação nacional com o desdém de quem se acha cosmopolita e acima dessas saloíces. Foi pena. Foi muita pena, porque, afinal de contas, era suposto isto ser uma final "nacional", não é?

E o que faz ao futebol português este desnorte de importações? Para já, bloqueia o acesso aos grandes clubes por parte dos jogadores medianos que, uma vez numa equipa de topo, talvez pudessem despontar e conseguir prestações muito acima do que aquilo que lhes está reservado em clubes inferiores; depois, impede o entrosamento entre grupos de jogadores portugueses que pudessem ser aproveitados na Seleção Nacional; provavelmente, também representa uma saída importante de divisas (ou capital, em geral), do país e, para finalizar, dá-nos hipótese de vermos como até no futebol, o país se entregou definitivamente à velha máxima do "mais vale comprar feito do que ter o trabalho de fazer".

Equipas portuguesas, dizem eles... E que dizer desse pormenor abolutamente irritante de termos imigrandes milionários que não se dão ao mínimo trabalho de falar Português? Não só isso, como se expressam com a fluidez de quem se sente em casa, apesar de falar numa língua estrangeira. E ninguém diz nada... Perda de valores? Certamente. A imagem de um país que importa tudo e de um povo que se está borrifando.

Viva o Porto!, já agora.



Comentários no Público:

Maria, Lisboa. 19.05.2011 11:08
Vi por acaso a parte da festa e pensei que era uma final da America Latina. Vi bandeiras do Brasil, Argentina, Colombia...

Ana, Portugal. 19.05.2011 00:46
A responsabilidade não é dos jogadores é da direcção do clube que não sabe que numa competição europeia não está apenas a representar um clube mas um país. Sou adepta do Porto mas estou envergonhada por não ter havido uma bandeira portuguesa, É inadmissível.

Maria, Portugal. 19.05.2011 00:01
O que se esperava que fosse uma final portuguesa, não teve uma única bandeira portuguesa. Os jogadores do Porto festejaram com bandeiras de várias nacionalidades, mas nem uma era a nossa. Uma vergonha para todos.

Daniela, Nottingham. 18.05.2011 22:50
Estou a viver em Nottingham e hoje fiquei muita chateada quando me disseram, num pub, que nao iam passar o jogo porque ambas as equipas eram "useless" (inuteis). Fiquei passada, entao fui para casa ve-lo na TV britanica. Vi o jogo, estava a torcer por ambas as equipas(pq sou do benfica, mas como estamos na europa, sou antes de portugal). Quando acabou o jogo, eu estava abismada, nao consegui ver ninguem a envergar 1 bandeira de portugal, mas vi antes brasileiras, do uruguai e ate 1 polaca, mas portuguesa nao. Assim, tive de concordar com o comentario do dono do pub, sem orgulho nem respeito, nao sao os outros que sao snobes ou arrogantes, mas somos nos que precisamos de parar e pensar no que andamos a fazer. Se nao temos respeito no nosso pais, nunca conseguiremos "passar da cepa torta"


Luis Camara Leme, Corroios. 18.05.2011 22:01
Pouco me interessa o resultado entre o Porto e o Braga. Fala-se da final de clubes portugueses. No entanto, para meu belo espanto, os jogadores estrangeiros do Porto, que sao em larga maioria, colocaram aos ombros a bandeira dos seus paises, no final do jogo. Os poucos portugueses da equipa nao o fizeram. Sera que se consideram tambem estrangeiros e nao tinham a bandeira a jeito? Quem patrocionou semelhante imagem do dito futebol portugues ?


abreu, france. 18.05.2011 22:00
Muitos ficam incomodados quando ha dois naturalizados na seleçao, mas ver este desfile de bandeiras estrangeiras no fim do jogon nao é muito agradavel.Parece tudo menos uma euipa portuguesa.Todos sabemos que nao sao portygueses , mas sera necessario mostrarem as bandeiras? Enfim..

1 comentário:

Fada do bosque disse...

Meu caro! cem por cento de acordo! Muito bem visto e explicado mas esta frase:- "O resto... o resto era uma espécie de representação da ONU em calções." Diz tudo! Pena é que se façam os filmes que tanto criticou sobre Portugal, para finlandês ver e depois se percam oportunidades destas para mostra o nosso patriotismo, mesmo sendo à custa de uma máquina composta de peças internacionais. Não faltaram também jogadores portugueses... ainda que muito poucos, onde no final e como diz, estavam a ser treinadas por dois jovens portugueses.