Os tomatinhos do menino

Numa indubitável demonstração de amor de avó, ouvi este fim de semana a repetição de algo que, em tempos longínquos, também me cabia em sorte: aquelas conversas que as mulheres têm para com "os crianços" onde, de forma quanto a mim bastante despudorada, afirmam direitos de propriedade sobre a nossa genitália. Estou a falar de coisas como:

- Ai que tomatinhos, tão bons. De quem são? São da avó.
- Ai que a mamã vai comer os tomatinhos do menino.
- O que é isto, o que é isto? É meu. É da tia. Ai tão bom. (acompanhado de carícias).

Ora... eu peço-vos que façam um exercício de imaginação. Imaginem que, em vez da avó tínhamos o avô; em vez da mãe, tínhamos o pai e, em vez da tia, estava um tio. Quanto à criança, desaparecia o rapaz e aparecia uma menina.

- Ai que bibi tão bonita. De quem é? É do avô.
- Ai que o papá vai comer a bibizinha da menina.
- O que é isto, o que é isto? É meu. É do tio. Ai que bom. (passando o dedo na já famosa "bibi da menina").

O que acham que acontecia?

1 comentário:

Fada do bosque disse...

ahahahaha!! Esta está mesmo muito bem vista! Como somos família onde os rapazinhos não proliferam, aliás, só há meninas, nunca me passou pela cabeça que o "mulherio" fizesse uma coisa dessas! :)) Que coisa do arco da velha! ahahahahahah