Andam a fazer de nós burros!

A estupidez jornalística parece um monstro desvairado no qual ninguém consegue por mão. A mais recente barbaridade propagada pelos homens que tinham como obrigação informar diz respeito aos "ataques" com "cocktails molotov" (e "uma lata de tinta") a três repartições de finanças em Lisboa.

Os "cocktails molotov" são garrafas cheias de gasolina e com um pano a arder numa ponta (não são "engenhos explosivos" como também dizem os homens da informação). Ao atingirem o alvo, dá-se uma bola de fogo e aquele é incendiado. Era uma arma comum contra tanques, na primeira metade do Séc. XX. Ora, alguém me consegue explicar como raio é que uma coisa que punha tanques de guerra a arder consegue ser atirada contra montras de repartições, não provocar qualquer fogo e nem sequer uma manchinha escura deixar nas paredes?

Vejam as imagens porque, como diz o adágio "Uma imagem vale por mil palavras". Como deixo várias...

O "ataque com uma lata de tinta".
Reparem, nem uma lasca em todo aquele vidro lá atrás... Foi um ataque aos degraus...


A Repartição de Finanças de Alvalade.
Em Portugal, os cocktails molotov são iguais a pedradas, parece...



E, aqui, temos uma fantástica reportagem da TVI onde um acéfalo jornalista nos tenta convencer do absurdo:
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/greve-geral-cocktail-molotov-explosivos-tvi24-ultimas-noticias/1302040-4071.html

Finalmente, uma reportagem que chama as coisas pelos seus nomes: PEDRAS


E, para conhecimento enciclopédico, fica aqui um vídeo com alguns cocktails molotov

E a quem interessa esta brutal desinformação? A todos, menos ao público. Ao Governo, interessa dizer que há gente "má" que quer causar distúrbios e usar estes "ataques" para justificar eventuais medidas de exceção. E aos parolos "em luta" que têm orgasmos revolucionários em blogs e foruns internéticos, sabe bem imaginarem que alguém, finalmente, está a tornar realidade os seus sonhos anarquistas.

Estamos condenados à desinformação e à boçalidade?



Sem comentários: