A frase do cisne

A única coisa que se aproveita no pior do que péssimo filme "Cisne", de Teresa Villaverde é uma frase. É pouco, muito pouco já se vê mas, por isso mesmo, a dita frase merece ser aqui deixada:

"A 'vida inteira' já começou há muito tempo..."

Putas, drogados, panilas e travestis? É um filme português!

Acabadinho de chegar do grande auditório da Gulbenkian (cheio de gente ao longo do dia, para ver filmes portugueses "de autor"), ando às voltas tentando lembrar-me de uma película nacional pós Estado Novo, que não meta putas, drogados, travestis e homossexuais. Haverá alguma alínea nas regras da aprovação de subsídios que obrigue à inclusão de semelhantes personagens nos nossos filmes? É que, até quando num filme sobre o Livro do Desassossego (de Fernando Pessoa) - o "Filme do Desassossego", de João Botelho -, se consegue meter bares de alterne, strippers, gente a cheirar cocaína, prostitutas, gajos a enrabar outros em ruelas e mulheres aos beijos (só não apareceu um travesti...), é mesmo para me deixar certo de que só faz filmes em Portugal quem "cumprir as regras"...

Um sítio respeitável

Sexta-Feira à noite (21:00), entro num café na zona do Cais do Sodré para matar um pouco de tempo. Dirijo-me ao balcão e espero que me vejam. Quando me notam, o empregado, ao mesmo tempo que me pergunta o que quero, dirige-se a uma mesa ali perto e começa a limpá-la.

"Pode sentar-se. Pode sentar-se"... - diz o homem. Quando para de limpar a mesa, acrescenta, com um sorriso cúmplice: "Isto é um sítio respeitável. Já mandámos o velho embora...".

O "velho" era um preto... velho e pobre, que bebia calmamente uma bica ao balcão...

O dia da mulher

Não vale muito a pena perder tempo tentando demonstrar o quão absolutamente ridículo é muito do "feminismo" com que somos confrontados nestas nossas sociedades "igualitaristas", nem a forma indecorosa como ele (o feminismo) se resume quase sempre à obtenção de privilégios sob a capa nobre da igualdade "de direitos". Agora, é engraçado ver como - à semelhança de outras datas (São Valentim, Dia das Bruxas) -, se tenta "puxar para cima" uma efeméride alheia ao cidadão comum e transvesti-la de um significado festivo artificial mais conforme com a futilidade própria de tudo quanto é fruto de decretos ou interesses comerciais e não propriamente reflexo de sentimentos arreigados na população. Ver gente a desejar "Feliz Dia da Mulher" como se estivéssemos no Natal ou a manifestar alegria pela passagem de mais um aniversário de alguém é, no mínimo dos mínimos, pateta (e patético).

Num ginásio de Lisboa, oferecia-se flores às sócias. Quase todas se mostravam surpreendidas pela inusitada simpatia da direção, talvez pelo simples facto de nem sequer fazerem ideia de que ontem era o "seu" dia. Lá dentro, uma treinadora  dirige-se a uma treinanda e...

- Parabéns!
- Então?
- Hoje é dia da mulher...
(a treinanda muda para voz de kidusha)
- Ai é? "biiiigaaaaadoooooo"

Bardamerda!

O sólido e o líquido


Os "sólidos" devem ser para comer à dentada...

Já sabemos!!!


Quando não há muito para dizer, vai-se repetindo a mesma informação...

Tiro ao lado


Só há um problemazinho: a cidade de Bruges (Património da Humanidade, já agora), é na Bélgica...

Ah, "ganda" Isaltina


DN Online... DN Online...

Contra o AO

"(...) põe música clássica nos “headphones” e desde (SIC) à rua para uma sessão de “jogging” que a câmara acompanha num magnífico “travelling” lateral (...)"



Crítica cinematográfica do jornal Público (ver aqui).

O Público é contra o Acordo Ortográfico...
Tiraram-me os três !!!


("pontos".... entenda-se)

A Chaimite...

Hoje, por motivos profissionais, pedi a um colega meu que escrevesse, numa caixa de senha (num site de internet), a palavra "Chaimite".

A primeira tentativa falhou. A segunda, também.

Perguntei-lhe: "Não és de Santarém?"

Ele olhou para mim, com um ar sério e disse "Sou, e então?"

"Santarém... a Escola Prática de Cavalaria... a chaimite à porta... o Salgueiro Maia...", disse-lhe eu, como forma de lhe avivar a memória.

Ele pensou e voltou a tentar escrever o nome do "nosso" blindado:

- Ximit
- Xaimit
- Chaimit

Finalmente, desistiu...