Putas, drogados, panilas e travestis? É um filme português!

Acabadinho de chegar do grande auditório da Gulbenkian (cheio de gente ao longo do dia, para ver filmes portugueses "de autor"), ando às voltas tentando lembrar-me de uma película nacional pós Estado Novo, que não meta putas, drogados, travestis e homossexuais. Haverá alguma alínea nas regras da aprovação de subsídios que obrigue à inclusão de semelhantes personagens nos nossos filmes? É que, até quando num filme sobre o Livro do Desassossego (de Fernando Pessoa) - o "Filme do Desassossego", de João Botelho -, se consegue meter bares de alterne, strippers, gente a cheirar cocaína, prostitutas, gajos a enrabar outros em ruelas e mulheres aos beijos (só não apareceu um travesti...), é mesmo para me deixar certo de que só faz filmes em Portugal quem "cumprir as regras"...

Sem comentários: